Diretores do SINPREFI percorrem unidades escolares do município esclarecendo aos profissionais da Educação quais são os motivos que embasam a Greve Geral convocada para 14 de junho.

A reforma da Previdência é um ataque direto aos professores e demais profissionais que atuam nas escolas, com perdas ainda mais significativas para as mulheres trabalhadoras. Além disso, os cortes anunciados pelo governo afetam em cheio o Fundeb, que garante o pagamento dos salários de quem atua na Rede Pública Municipal.

Em Assembleia, professores e profissionais da Educação de Foz deliberaram participação na Greve Geral. Agora, os líderes sindicais reforçam a convocação. Nos dias 24.05 e 27.05 foram visitadas as seguintes unidades:

Olavo Bilac, Três Lagoas, Heley de Abreu, Cláudio Lourenço, Arnaldo Isidoro, Flor de Liz, Amina Barakat, Najla Barakat, Padre Luigi, José Bento Vidal, Monteiro Lobato e Dom Olívio.

Os representantes de cada unidade também estão sendo convocados para uma reunião de planejamento das ações no dia 30 de maio, na Escola Santa Rita, a partir das 14h.

Dia 14 de junho será um marco! O dia em que os trabalhadores ganharam voz!

Imprimir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.