SINPREFI realizou a última reunião da série de Videoconferências Regionais. Dessa vez, quase 60 profissionais da Educação da Regional Porto Meira, entre eles diretores, professores e secretários de Escolas e CMEI’s contribuíram com a pauta sobre uma suposta retomada das aulas. A reunião virtual foi no final da tarde da última sexta-feira (07), pela plataforma Google Meet.

Entre as falas apresentadas, as considerações que mais preocupam os profissionais da Educação da Regional Porto Meira são:

– risco de contaminação de alunos e professores
– risco de contaminação de parentes, em casa
– falta de perspectiva imediata de anúncio de vacina contra Novo Coronavírus
– uso de equipamentos de proteção
– comunidade escolar com hábitos precários de higiene
– dificuldade em cumprir os protocolos sanitários com alunos do CMEI
– organização da logística de limpeza, alimentação e desinfecção das unidades com o baixo número de funcionários
– preocupação com a adaptação das crianças pequenas sem poder pegá-las no colo

Além desses apontamentos, durante a reunião também foi debatido o declínio dos pais na procura das atividades nas últimas entregas. Os profissionais consideraram que a diferença entre a alta adesão no início do atendimento remoto e a queda agora, pode ser resultado do aumento de casos do Novo Coronavírus, o que obriga as famílias a permanecerem em quarentena.

Outro assunto tratado foi a preocupação com o abalo psicológico dos alunos nesse momento em que as aulas presenciais estão suspensas. A região do Porto Meira é de alta vulnerabilidade social, os profissionais recebem denúncias de violência doméstica com frequência e estão buscando ajuda do Conselho Tutelar.

Os profissionais da Educação agradeceram às diretoras do SINPREFI pela oportunidade de serem ouvidos. Afirmaram que, neste momento, a maioria dos docentes não concorda com a previsão de retorno das aulas. Consideram viável pensar numa nova proposta para o retorno das aulas em 2021, incluindo âmbito curricular e estrutural das unidades escolares. Expuseram que é o momento de ouvir e atender os profissionais da saúde.

Marli M. de Queiroz, presidente do SINPREFI informou aos colegas educadores que já assumiu a cadeira no Comitê Municipal de Gerenciamento e Retorno às Aulas Presenciais em Foz do Iguaçu (CMGRAP). Conforme publicação em Diário Oficial do Decreto municipal nº 28.381, do dia 03 de agosto de 2020, o comitê foi criado “com a finalidade de elaboração e indicação de normas e protocolos de segurança sanitária, de higiene, saúde e prevenção para o espaço escolar e apoio na construção do plano estratégico de retomada das aulas na modalidade presencial, emitindo pareceres com orientações ao Prefeito Municipal e/ou Gabinete de Crise para a tomada de decisão”. Marli enfatizou que representará os trabalhadores da base, levando a realidade de cada regional para as reuniões do Comitê. A primeira reunião do Comitê foi realizada na quinta-feira (06).
Com o término das Videoconferências promovidas pelo SINPREFI será feito um questionário on-line compartilhado com todos os professores e profissionais da Educação para preenchimento. Os dados levantados serão encaminhados formalmente para a Secretaria Municipal de Educação.

Ao final, assuntos gerais de interesse dos participantes foram apresentados pelas diretoras do sindicato:
– O SINPREFI encomendou duas máscaras para cada filiado
– Lei Complementar 173/2020 que proíbe estados e municípios de conceder vantagem, adequação de salário ou reajustes até 31 de dezembro de 2021
– Ações judiciais do SINPREFI em andamento
– Apoio na luta para a aprovação do Fundeb Permanente no Senado
– Lembrete aos profissionais para protocolarem os certificados dos cursos para promoção funcional no mês de agosto
– Apoio na luta contra o Projeto de Lei enviado pelo Executivo Municipal para a Câmara de Vereadores requerendo a suspensão do repasse do aporte mensal para o fundo previdenciário da FozPrev durante o período de pandemia.

As diretoras do SINPREFI agradeceram a participação dos profissionais da Educação nas Videoconferências Regionais.

A LUTA CONJUNTA É MAIS FORTE!

Imprimir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.