SINDICATO CONQUISTA PAGAMENTO DE ABONO PARA PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE FOZ

Anúncio foi feito durante reunião de líderes sindicais e representantes dos educadores com o prefeito Chico Brasileiro na manhã desta terça-feira (11)

 

Atendendo reivindicação do Sindicato dos Professores e Profissionais da Educação da Rede Pública Municipal de Foz (SINPREFI), o prefeito Chico Brasileiro anunciou o pagamento de abono salarial no valor de R$ 1.810,00 para cada um dos 2.617 profissionais da rede municipal de ensino ainda na folha de janeiro. Isso inclui: professores, secretários, agentes de apoio, auxiliares de serviços gerais, merendeiras e demais profissionais da educação.

 

O anúncio foi feito durante reunião de negociação na manhã de hoje (11), no gabinete. O montante investido será de R$ 4,7 milhões, solicitação feita com base no incremento de 23% que o município recebeu, em 2021, em repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), fundo criado justamente para garantir a valorização salarial dos professores.

 

A proposta do abono salarial para os servidores da educação foi apresentada por líderes do SINPREFI ao executivo ainda no início de dezembro do ano passado. A partir da negativa da prefeitura, alegando que foram feitos investimentos em outras necessidades, houve uma série de debates em torno do tema, manifestações e tratativas.

 

Hoje (11), às 8h, educadores protestaram mais uma vez em frente à prefeitura. Às 9h, uma comissão formada por líderes sindicais e representantes de segmentos da categoria se reuniu com o prefeito Chico Brasileiro, com o prefeito em exercício, Francisco Sampaio, com a secretária de Educação, Maria Justina da Silva, com o secretário de Administração, Nilton Bobato e com equipe técnica da prefeitura.

 

Enquanto a reunião ocorria no gabinete, educadores mantiveram o protesto em frente à prefeitura. Os servidores estenderam faixas, levaram apitos e vestiram camisetas defendendo a luta da valorização profissional.

 

Avanços

A primeira proposta feita pela administração municipal à categoria previa pagamento de R$ 1.500,00 para profissionais que possuem um vínculo de 40h semanais e R$ 3.000,00 para profissionais que possuem dois vínculos de 20h semanais cada. A categoria deliberou em assembleia geral, às 10h30, na frente da prefeitura, por uma proposta mais igualitária que foi aceita pela prefeitura, prevendo redistribuição dos valores e incluindo todos os profissionais da rede pública municipal de ensino.

 

Ficou firmando também, o pagamento de duas referências (reajuste de 6% que será incorporado ao salário dos professores e secretários de escola) com implementação em fevereiro para a folha de pagamento de março.

 

A retomada das negociações dos pagamentos de avanços represados, retroativos e atrasados está prevista para o final de fevereiro. Já o debate para o reajuste da data-base de 2022 ficará para abril. Também serão retomadas as tratativas de pagamento sobre o piso nacional.

 

“Nossa luta continua pelas demais reivindicações da pauta. A implementação do Plano de Carreira com os estudos e sugestões do SINPREFI precisa acontecer imediatamente!”, enfatizou Viviane Jara Benitez, diretora de políticas sindicais do SINPREFI.

 

 

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *